onica

ONICA LANÇAM NOVO VIDEOCLIP

ONICA LANÇAM NOVO SINGLE

Tendo passado pelas Super FM e 105.4, e um mês após entrevista dada à RTP2, os ONICA lançam agora o single “Not Looking Back” nas plataformas digitais, com videoclip no YouTube, tema produzido por Wilson Silva dos More Than a Thousand – da co-autoria de João Bettencourt Pedroso e André Pires -, tal como aconteceu com o álbum “Same Old Stories”. Este último, lançado há 2 anos, conta com mais de 250.000 streams, tendo o tema “Stay Strong” chegado ao “TOP VIRAL 50” do Spotify.

http://www.youtube.com/watch?v=gUj9cRy6kFI[/embed]

Tendo dado o primeiro concerto em 2011 com apenas 15 anos de idade, no então Rock N´Shots, e tendo sido em 2013, a banda mais nova a ser convidada para tocar na Festa do Avante, contam com mais de 30 concertos, entre os quais se destacam os dados no “NOS Alive 2015”, no “Lounge D” do Casino do Estoril e o de banda de abertura dos suecos Spiders.

Facebook – facebook.com/onicaband

Youtube  – http://bit.ly/2lijxw0
Spotify – http://bit.ly/1KaSDg5
Instagram – onicaband

og_image

Músicos portugueses passam a saber que canções suas estão a passar em tempo real

A 1 de Outubro, a GDA vai lançar plataforma que controla airplay. Ferramenta permitirá melhor gestão dos direitos de autor, espera a cooperativa.

Até agora, os músicos só recebiam informação sobre a transmissão das suas composições no espaço público através das editoras, dos agentes ou das associações representantes. A partir de 1 de Outubro, Dia Mundial da Música, a cooperativa GDA – Gestão dos Direitos de Artistas, Intérpretes ou Executantes, em parceria com a empresa espanhola BMAT, vai permitir que acedam on-line, e em tempo real (o delay poderá chegar a uma hora), aos dados das faixas que estão a ser utilizadas por rádios ou televisões.

O portal, pioneiro em todo o mundo, vai possibilitar aos artistas saberem que tipo de utilização está a ser feita da sua música e por quem, ao mesmo tempo que dará informação sobre os montantes que os músicos poderão receber por determinada utilização. Luís Sampaio, vice-presidente da GDA, explica que o sistema parte de uma base de dados com as músicas que se pretendem localizar. “Há uma comparação com o que passa em determinada frequência ou canal e, se for detectada uma semelhança, o programa vai buscar os metadados”, diz. O título da canção, o artista, a editora, a duração e o dia e a hora da transmissão serão algumas das informações disponíveis.

Foi a pensar na oportunidade de os artistas verem o contexto em que está a ser reproduzida a sua música e o valor que a transmissão poderá implicar que a GDA desenvolveu a parceria com a empresa tecnológica BMAT. Foi criado um sistema adaptado a partir do Vericast, software que permite monitorizar milhões de músicas em mais de três mil rádios e televisões em todo o mundo. “Esta informação não é normalmente conhecida pelos artistas e pode ajudá-los a perceber melhor como as coisas funcionam”, reconhece Luís Sampaio.

O portal vai permitir que os artistas tomem decisões de gestão da sua carreira com base na informação a que vão ter acesso, nomeadamente o tipo de público que estão a alcançar. “Se a minha música tocar muitas vezes na Rádio Barcelos, secalhar está na altura de enviar o meu empresário lá para tentar vender um concerto”, exemplifica o vice-presidente da GDA.

De acordo com a descrição no site da espanhola BMAT, o programa “permite um reconhecimento em tempo real e um registo verificado com base numa pegada de áudio resistente a alterações do sinal devido à existência de voz por cima, à mistura de transmissão e ao ruído do canal”. A precisão do rastreamento e dos registos de emissão torna maior “a eficiência na distribuição de direitos de autor”. O Vericast tem um tempo mínimo de reconhecimento de quatro segundos e uma taxa de eficácia de 99,9%.

A plataforma facilitará o controlo da emissão pública do trabalho dos artistas da cooperativa e dará mais transparência à cobrança dos respectivos direitos de propriedade intelectual. A GDA pretende, ainda, combater a ideia de gratuitidade que impera actualmente. “A música está presente em todo o lado, como se fosse gratuita, e é essa ideia que precisamos de desfazer. Há trabalho e precisa de ser remunerado”, remata Luís Sampaio.

O portal da GDA permite aos artistas a gestão de uma conta-corrente onde podem saber os montantes que lhes vão sendo creditados e actualizar os seus dados com as participações em novas obras. Segundo a GDA, a cobrança do valor pela utilização de canções nos espaços televisivo e radiofónico “é rigorosamente proporcional à intensidade da utilização das obras”. A monitorização das músicas não terá qualquer custo para os músicos.

Fonte: PÚBLICO

naom_55a899619dafa

Marshall cria smartphone

  • naom_55a8996e0d24f
  • naom_55a899619dafa
  • naom_55a8995158fb7
  • naom_55a89944ddadd
  • naom_55a89936c8a20
  • naom_55a89928bf337
  • naom_55a8991956ed6
  • naom_55a898f7c3ccd
  • naom_55a8989e77a9c
  • naom_55a89891c924a
  • naom_55a898813f274
  • naom_55a8986c9ec02
  • naom_55a8985e082ec
  • naom_55a89908df417

A fabricante de amplificadores Marshall anunciou que lançará o seu próprio smartphone, um topo de gama pela importância que dá à música.

Este Marshall London, tem um processador Snapdragon 410, 2GB de RAM, um ecrã de 4.7 polegadas capaz de reproduzir a 720p, 16GB de armazenamento e possibilidade de usar cartões microSD. A câmara traseira, de 8 MP é mais que suficiente para tirar umas belas fotos do seu artista preferido.

A forma como o Marshall London coloca a música como foco deverá convencer quem não consegue estar sem os seus headphones. Apresenta duas colunas frontais, uma acima e outra abaixo do ecrã, duas entradas para headphones, um botão para ir diretamente para a secção dedicada a música e um controlador ‘slider’ dourado para alterar o volume.

O design evoca os amplificadores da marca e as aplicações e funcionalidades relacionadas com produção de música deverão fazer qualquer fã da marca feliz.

Este smartphone está avaliado em 541 euros.

Flower Power Festival

FLOWER POWER FEST 2015 – Vila Nova de Santo André

O Flower Power Fest (FPW) é um festival com produção Lus’Alma – Associação de Divulgação, Promoção Cultural e Artística, que retrata as décadas de 60/70 e parte da década de 80.

De 13 a 16 de Agosto, o Flower Power Fest volta a Vila Nova de Santo André para reviver os anos 60 e 70 e o espírito do festival de Woodstock, no Parque Central da cidade.

Ingleses Fischer Z são o nome em destaque no cartaz.


A juntar aos Fischer Z, o cartaz do Flower Power vai apresentar um conjunto de bandas tributo a alguns dos maiores nomes da música, como Kind of Magic & The Flashing Voices (tributo aos Queen), Elvis and the Memphis Flash (tributo a Elvis Presley), ABBA Mania (tributo ao quarteto sueco), Isabella Bretz e Uprising (tributos a Bob Dylan e a Bob Marley) ou Peakles (tributo a Beatles). Rui Cabanelas, Rui Miguel, Louis, Light’s são os DJ residentes.

 

PREÇO

O bilhete diário
10 € – Quinta (dia 13) e Domingo (dia 16)
15 € – Sexta (dia 14) e Sábado (dia 15)

Passe (4 dias)
30 € sem camping
40 € com camping (incluído no bilhete)

Bilhete FAMILIAR diário (Quinta e Domingo)
20 € – (3 pessoas)
30 € – (4 pessoas)
40 € – (5 pessoas)
50 € – (6 pessoas)

Bilhete FAMILIAR diário (Sexta e Sábado)
30 € – (3 pessoas)
40 € – (4 pessoas)
50 € – (5 pessoas)
60 € – (6 pessoas)

Entrada Permanente FAMILIAR (4 dias)
60 € – (3 pessoas)
80 € – (4 pessoas)
100 € – (5 pessoas)
120 € – (6 pessoas)

 

Outras actividades e animação:

Feira dos Saberes e Sabores – na envolvência do recinto
Mostra e passeio de automóveis antigos das décadas de 60 e 70
Mega parque de Insufláveis
Slackline
Artesanato
Artes plásticas e performativas
Exposições
Workshops
Jogos tradicionais
Dança
Yoga
Concursos

 

Captura de ecrã 2015-06-18, às 04.49.28

Novo site a mesma ideia.

Chegou!

O Mapa voltou renovado e com muita vontade de retornar à sua ideia principal. Aproximar a procura e a oferta.

Depois de percorrer outros caminhos como a Rede Mapa e Rádio Mapa, chegámos à conclusão que a verdadeira lacuna da indústria musical nacional não está na falta de ferramentas sociais. Melhores servidores, maior velocidade e atualizações constantes fazem do Facebook uma ferramenta, para nós, muito difícil de combater. Apesar da nossa convicção que a Rede Mapa tinha grande utilidade, optámos por voltar ás raízes e ao conceito inicial, o MAPA.

O nosso feedback

A Plataforma Mapa de geolocalização, foi sem dúvida o nosso maior sucesso. Fácil compreensão, veloz e útil.  Continuaremos a trabalhar para que a mesma possa evoluir e satisfazer as necessidades dos nossos clientes.

644